POSLING NS

Banca de DEFESA: KELLY FERNANDA MAYRINK DRUMOND

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KELLY FERNANDA MAYRINK DRUMOND
DATA : 11/07/2019
HORA: 15:00
LOCAL: Sala 330 do Campus I
TÍTULO:

O DISCURSO DAS ROUPAS: os ethé construídos pela imprensa a partir das indumentárias das primeiras-damas brasileiras


PALAVRAS-CHAVES:

Análise do Discurso. Ethos. Primeiras-Damas. Roupas.


PÁGINAS: 124
RESUMO:

A maneira de se vestir de uma primeira-dama pode suscitar questões discursivas. As roupas, por serem passíveis de leituras que extrapolam sua funcionalidade primária, de proteção do corpo, implicam também questões de valoração subjetiva. Graças a essa dimensão argumentativa implícita nas roupas, é possível identificá-las como vocalizadoras de discursos políticos. Por intermédio da indumentária, (re)constroem-se autorretratos discursivos que propiciam a análise sobre a ideação de uma possível imagem de si que seja legitimadora de identidades sociais. Nesse contexto, nesta dissertação, analisamos as interpretações midiáticas acerca das imagens de si das primeiras-damas brasileiras, detectando, dessa maneira, os principais ethé depreendidos a partir de elaborações discursivas materializadas por meio de suas indumentárias. Consideramos como corpus de análise, reportagens veiculadas pelos jornais O Globo, Folha de S.Paulo e pela revista Veja referentes ao modo de se vestir das primeiras-damas Rosane Collor (governo Fernando Collor, de 1990 a 1992), Ruth Cardoso (governo Fernando Henrique Cardoso, de 1995 a 2002), Marisa Letícia da Silva (governo Luiz Inácio Lula da Silva, de 2003 a 2010) e Marcela Temer (governo Michel Temer, de 2016 a 2018). A análise incidiu sobre o sentido discursivo do vestuário das primeiras-damas interpretado por esses veículos, ou seja, sobre o desvendamento das indumentárias e suas intenções de uso registradas pela imprensa, trazendo à tona possíveis imaginários e projeções etóticas desses sujeitos enunciadores. Nesse contexto, tratamos da construção da imagem de si pelo discurso de “outrem”, visto que temos um sujeito que fala de outro sujeito. A depreensão dos ethé acerca das primeiras-damas se deu a partir do discurso da imprensa, pela forma como tais composições indumentárias foram reverberadas. Ao se referir à vestimenta de uma primeira-dama, o autor do enunciado midiático dota sua fala de um tom avaliativo, meticulosamente crítico, pertencente ao campo das ideias e dos valores. A análise discursiva das reportagens nos permitiu identificar que os veículos de comunicação participam ativamente da reprodução e da manutenção de estereótipos acerca dessas mulheres, configurando um ethos coletivo a partir de um imaginário patriarcal.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - GIANI DAVID SILVA
Externo à Instituição - JÚLIO CÉSAR MACHADO PINTO - UFRB
Presidente - LILIAN APARECIDA ARAO
Notícia cadastrada em: 04/07/2019 14:13
SIGAA | Secretaria de Governança da Informação - (31) 3319-7000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - vm-sig-app-09.ditic.sgi.cefetmg.br.inst9