POSLING NS

Banca de DEFESA: SILVANA LUCIA TEIXEIRA DE AVELAR

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SILVANA LUCIA TEIXEIRA DE AVELAR
DATA : 10/12/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 330 - Campus 1
TÍTULO:

A operacionalização da avaliação formativa na abordagem de ensino de línguas estrangeiras (inglês) via gêneros textuais do CEFET-MG


PALAVRAS-CHAVES:

avaliação formativa, feedback, ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras, multiletramentos, gêneros textuais


PÁGINAS: 210
RESUMO:

Este trabalho é uma pesquisa bibliográfica que tem por objetivo principal a elaboração de um construto teórico para o uso do feedback enquanto instância da avaliação formativa em uma abordagem de ensino e de aprendizagem de línguas estrangeiras via gêneros textuais. Em função da experiência dos professores de inglês lotados na Coordenação da Área de Línguas Estrangeiras do CEFET-MG, da qual faço parte, foi constatado que há uma lacuna na Literatura sobre avaliação no contexto de operacionalização dessa abordagem: o foco da prática pedagógica recai sobre o caráter processual da produção de sentidos o que demanda uma avaliação que privilegie o processo. Nessa abordagem, a avaliação formativa, potencializada pelo feedback, desempenha um papel fundamental no processo de produção de gêneros textuais, tendo em vista a produção multimodal de sentidos no mundo atual (COPE; KALANTZIS, 1993; 2015; MARTIN, 2009; KALANTZIS; COPE, 2012). A avaliação formativa, desse modo, coloca o estudante no centro dos processos, fomenta o desenvolvimento de sua metacognição e agência, pois ocorre na própria aprendizagem, na construção colaborativa de conhecimentos por meio da mediação (LANTOLF, 2000; VYGOTSKY, 1978), viabilizando a aprendizagem. Sem a potencialização do uso do feedback, a avaliação deixa de ser processual e passa a focar no produto (parcial ou final) da aprendizagem, perpetuando a prática tradicional da avaliação como mero instrumento promocional, sem qualquer efeito retroativo para o gerenciamento da própria aprendizagem pelos estudantes. Para elaborarmos esse construto teórico, estabelecemos os seguintes objetivos específicos: (1) compreender melhor e justificar teoricamente o feedback enquanto instância da avaliação formativa em uma abordagem de ensino e de aprendizagem de línguas estrangeiras via gêneros textuais; (2) identificar os tipos de eventos de feedback passíveis de serem utilizados na prática avaliativa formativa no decorrer da produção de gêneros textuais; e (3) propor meios para uso do feedback nessa prática avaliativa. Os capítulos foram definidos para a operacionalização dos objetivos propostos. No Capítulo 1, introduzimos o problema da pesquisa, contextualizando-o e justificando sua relevância para pesquisas futuras na área de ensino e de aprendizagem de línguas estrangeiras; e delimitamos os objetivos, bem como as perguntas de pesquisa, para a orientação deste estudo. No Capítulo 2, investigamos a conceituação da avaliação formativa nas diretrizes para o ensino de línguas estrangeiras, presentes em documentos oficiais nacionais da Educação básica de nível médio, bem como na produção acadêmica brasileira voltada para o ensino e a aprendizagem de línguas estrangeiras. No Capítulo 3, perscrutamos especificamente o papel do feedback na mediação da aprendizagem para identificarmos quais tipos de eventos de feedback poderiam ser usados na prática avaliativa formativa. No Capítulo 4, contextualizamos as conclusões dos capítulos anteriores na teoria da complexidade, demonstrando que a avaliação pode ser considerada um subsistema da aprendizagem que emerge na oferta e no recebimento de feedback. No Capítulo 5, situamos o uso do feedback enquanto instância da avaliação formativa na pedagogia dos multiletramentos, fundamentando o seu uso com concepções de ensino, aprendizagem, língua e linguagem que embasam a abordagem de ensino e de aprendizagem de línguas via gêneros textuais. No Capítulo 6, descrevemos a metodologia da pesquisa. Nos Capítulos 7 e 8, a partir das conclusões dos capítulos anteriores, apresentamos a proposta de criação do construto teórico bem como os encaminhamentos para futuras pesquisas.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - MATILDE VIRGINIA RICARDI SCARAMUCCI - UNICAMP
Externa ao Programa - ALCIONE GONCALVES
Interno - JERONIMO COURA SOBRINHO - CEFET-MG
Externa à Instituição - LAURA STELLA MICCOLI - UFMG
Interno - LUIZ ANTONIO RIBEIRO
Presidente - MARIA RAQUEL DE ANDRADE BAMBIRRA
Notícia cadastrada em: 03/12/2019 13:00
SIGAA | Secretaria de Governança da Informação - (31) 3319-7000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - vm-sig-app-09.ditic.sgi.cefetmg.br.inst9