Banca de DEFESA: MARLON FABIAN SOARES MACHADO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARLON FABIAN SOARES MACHADO
DATA : 30/04/2021
HORA: 15:00
LOCAL: CEFET-MG (remotamente)
TÍTULO:

 

OS CORPOS (IM)POSSÍVEIS DE TATSUMI HIJIKATA

 

Reflexões sobre a dança Ankoku Butō e as insurgências da carne



PALAVRAS-CHAVES:

Ankoku Butō. Corpo. Dança. Corpo Poiético.


PÁGINAS: 121
RESUMO:

Esta dissertação analisa a coreografia do dançarino japonês Tatsumi Hijikata realizada no curta-metragem Navel and A-Bomb, O Umbigo e a Bomba Atômica, de 1960, do diretor Eikō Hosoe com luz nos aspectos da manifestação do corpo em suas dimensões plásticas na construção de uma linguagem para a dança Ankoku Butō, Dança das Trevas. A coreografia coloca Hijikata no papel de um demônio que surge do mar para roubar o umbigo de uma criança. Este curta mostra o corpo ligado ao bombardeio de Hiroshima e Nagasaki e à destruição total do Japão, mas também anuncia o "nascimento" de uma nova identidade japonesa no rastro da catástrofe atômica, a subsequente derrota e ocupação do Japão. Os manejos físicos e filosóficos que circundam o imaginário de Hijikata o permitem, dessa maneira, criar uma composição corpórea a partir da relação entre o vazio do corpo, sua memória e sua carne. Seria o percurso ao encontro de sua matriz poética, o corpo morto, que possibilitaria, por meio de um estado corporal, a manifestação de qualidades necessárias à execução de sua estética, que instaurava o corpo em uma tensão entre vida e morte, revelando fragmentos abalados de uma dimensão social e cultural que permaneceu no imaginário dos sobreviventes dos ataques nucleares. A compreensão do corpo estabelecida a partir do processo criativo de Hijikata subsidiará a reflexão do corpo poiético, que será tratado, a partir de sua utilização estética na dança Butō. Dessa forma, o corpo envolvido pelo pensamento acerca de sua possibilidade de se reconstruir através de seu caráter plástico, desperta também sua capacidade de promover ações no trânsito entre as artes. Seriam estes pontos que conduzem nossa análise e a cerca para as (im)possibilidades que Hijikata instala sobre o corpo no Butō, e, diante disso, permite o surgimento de uma corporeidade marcada pelo seu devir.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ÉDEN SILVA PERETTA - UFOP
Externa à Instituição - CARLA ANDRÉA SILVA LIMA - UFMG
Interno - LUIZ CARLOS GONCALVES LOPES
Presidente - OLGA VALESKA SOARES COELHO
Notícia cadastrada em: 09/04/2021 09:22
SIGAA | Diretoria de Tecnologia da Informação - DTI - (31) 3319-7000 | Copyright © 2006-2021 - UFRN - vm-sig-app-05.ditic.sgi.cefetmg.br.inst5