Banca de DEFESA: ANA PAULA MARTINS FONSECA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANA PAULA MARTINS FONSECA
DATA : 25/06/2021
HORA: 14:00
LOCAL: CEFET-MG (remotamente)
TÍTULO:

REPRESENTAÇÕES DA LÍNGUA MATERNA E DO SEU ENSINO NO DISCURSO DE LICENCIANDOS EM LETRAS À LUZ DA LIGUÍSTICA SISTÊMICO-FUNCIONAL


PALAVRAS-CHAVES:

Ensino de Língua Portuguesa; Representações Sociais; Formação Docente; Linguística Sistêmico-Funcional.


PÁGINAS: 221
RESUMO:

Esta tese apresenta como tema de pesquisa as representações de língua materna e de seu ensino que possuem ingressantes e concluintes de cursos de graduação em Letras. Considerando este tema, as perguntas norteadoras deste estudo foram: que representações de língua materna e de seu ensino têm ingressantes e concluintes dos cursos de licenciatura em Letras especialmente das unidades da Universidade do Estado de Minas Gerais UEMG? Ao analisar o discurso desses alunos (ingressantes e concluintes), é possível perceber semelhanças e diferenças de representações em relação ao ensino de língua materna? Há correlação entre o discurso desses sujeitos e os princípios de ensino e perfis profissionais delineados nas Diretrizes Curriculares para o ensino de língua materna? A partir destas questões de pesquisa, o objetivo geral do estudo foi analisar o discurso de estudantes ingressantes e concluintes dos cursos de licenciatura em Letras de duas unidades da Universidade do Estado de Minas Gerais UEMG (Ibirité, Divinópolis) de modo a evidenciar as representações acerca do conceito de língua materna e de seu ensino. Para alcançar esse objetivo a coleta de dados foi realizada por meio de um questionário, aplicado de forma presencial e envolveu questões abertas que trataram sobre os seguintes pontos: a) às razões que levaram à escolha do curso; b) os conhecimentos necessários ao aluno de Letras e futuro professor de língua materna; c) questões voltadas para os modos como se deu a relação com o curso de Letras; d) conceito de língua materna; e) aspectos relacionados à trajetória escolar na educação básica. A pesquisa contou com a participação de 43 discentes-ingressantes e 35 discentes-concluintes, totalizando a participação de 78 estudantes. A análise dos dados, bem como a fundamentação teórica, foi baseada na teoria da Linguística Sistêmico-Funcional (HALLIDAY, 1979; HALLIDAY e MATTHIESSEN, 2004; EGGINS, 2004), e em autores brasileiros, principalmente Fuzer e Cabral (2014) e Silva (2012, 2016), que também desenvolvem estudos com essa teoria. Os Sistemas de Avaliatividade e de Ideação (MARTIN e ROSE, 2007) fundamentaram a análise, assim como os documentos oficiais, a saber: Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), Base Nacional Comum Curricular (BNCC), Diretrizes curriculares para cursos de Letras (DCNs), Projetos Pedagógicos dos Cursos de Letras de Divinópolis e Ibirité (PPC). Contribuiu também para a análise dos dados a teoria das Representações Sociais proposta por pesquisadores da Psicologia Social (MOSCOVICI, 2003; 2011; JODELET, 2001), assim como foram importantes as concepções acerca da língua materna e de seu ensino ao longo das últimas décadas. Considerando o caráter interpretativo desta pesquisa, a metodologia adotada se ancora na abordagem qualitativa para análise dos dados. Os resultados mostraram que os licenciandos (ingressantes e concluintes) que participaram deste estudo, evidenciam em seus discursos as seguintes representações acerca do conceito de língua e de seu ensino: a) a língua como objeto de afeto; b) a língua como objeto complexo; c) ensinar língua é ensinar Gramática Normativa; d) ensinar língua é articular o saber técnico-acadêmico às práticas de ensino da educação básica; e) professor como eixo central no ensino de língua. De forma geral, ainda que apareça no discurso destes licenciandos uma representação de língua e seu ensino voltada para o ensino da Gramática Normativa, é perceptível também, que a trajetória deles no curso de graduação em Letras contribuiu de forma significativa para alterar e ampliar tal representação, já que o discurso destes licenciandos, ao registrarem em seus excertos a necessidade de um ensino mais articulado com a prática e uso da língua e, no caso dos concluintes, mais integrado com a escola de educação básica, mostrou a língua em toda sua complexidade. No entanto, os dados apontam que, ainda que tenha ocorrido mudanças de percepção em relação ao conceito de língua e seu de ensino durante a graduação, há por parte dos concluintes, uma ideia de ensino voltado para a estrutura da língua, o que pode justificar, em certa medida, o discurso proferido pelos ingressantes, de que na educação básica as aulas de português são voltadas para o ensino de regras. O panorama exposto por esta tese pode, de certa forma, contribuir para que a universidade reavalie como as práticas pedagógicas desenvolvidas em seus cursos de graduação em Letras-licenciatura estão sendo absorvidas e disseminadas entre a comunidade acadêmica. Outro viés importante que esta tese evidenciou foi a necessidade de mais articulação entre ciência e sociedade, pois ficou nítido, através dos dados desta pesquisa, que as práticas de ensino de língua, empreendidas na atualidade, ainda estão aquém do proposto pelas novas tendências linguísticas. Além de evidenciar as representações discentes de língua e de seu ensino, este estudo contribuiu para autorreflexão por parte da pesquisadora e pode contribuir gerando reflexões de outros profissionais, reforçando a necessidade de mais esforços direcionados a uma comunicação mais eficiente e efetiva entre ciência/academia e sociedade em torno do que se acredita ser língua e seu ensino.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - VANIA LÚCIA RODRIGUES DUTRA - UERJ
Interna - ANA ELISA FERREIRA RIBEIRO
Interna - LILIAN APARECIDA ARAO
Presidente - RENATO CAIXETA DA SILVA
Externa à Instituição - SARA REGINA SCOTTA CABRAL - UFSM
Notícia cadastrada em: 11/06/2021 14:48
SIGAA | Diretoria de Tecnologia da Informação - DTI - (31) 3319-7000 | Copyright © 2006-2021 - UFRN - vm-sig-app-07.ditic.sgi.cefetmg.br.inst7