POSLING NS

Banca de DEFESA: Flávia Denise Pires de Magalhães

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : Flávia Denise Pires de Magalhães
DATA : 07/11/2018
HORA: 12:00
LOCAL: Instituto de Desarrollo Economico y Social
TÍTULO:

Feira de publicações independentes: uma análise da emergência desses encontros em Belo Horizonte (2010-2017) e dos eventos Faísca - Mercado Gráfico e Textura (2017-2018)


PALAVRAS-CHAVES:

Edição; Produção editorial; Feira de publicações independentes;
Faísca; Textura.


PÁGINAS: 162
RESUMO:

A capital mineira, Belo Horizonte, vive um momento de efervescência da quantidade e
variedade das feiras de publicações independentes, desde, ao menos, 2010. Partindo dessa
observação fizemos uma revisão teórica a partir dos textos de Pierre Bourdieu (1996; 2004),
do qual usamos os conceitos de campo e capital; de Robert Darnton (1982; 2007) e Thomas R.
Adams e Nicholas Barker (1993 apud Darnton, 2007), dos quais usamos os conceitos de
modos de produção do campo editorial; e de Roger Chartier (1998a, 1998b), Michel Foucault
(2009), Roland Barthes (2004) e Vilém Flusser (2010), dos quais observamos as definições
históricas e teóricas de autor e de editor. Também fizemos uma revisão da literatura sobre o
termo “independente” a partir de Daniela Szpilbarg (s/d; 2012), Gustavo Sorá (2013), Hernán
López Winne e Víctor Malumián (2016), Magalí Rabasa (2016), José de Souza Muniz Jr.
(2016; 2017), Alice Bicalho de Oliveira (2017). Neste trabalho, identificamos as principais
feiras de publicações que ocorreram em Belo Horizonte de 2010 a 2017. A partir desse
levantamento, investigamos a criação e a manutenção das feiras Faísca – Mercado Gráfico e
Textura e mapeamos as trocas de capitais simbólico, financeiro e cultural que ocorrem nessas
feiras, observando uma dependência da Faísca de incentivos governamentais. Foi feita uma
aplicação de questionário em uma edição da Faísca e uma edição da Textura, ambas em 2017,
para caracterizarmos os expositores dessas feiras. Em ambas as feiras, a maioria dos presentes
se considera independente. A Faísca apresenta uma divisão entre gêneros entre seus
expositores (masculino, 45,2%; feminino, 51,6%; travesti, 1,6%) cuja maioria é de jovens
adultos (18 a 29 anos; 67,7%) e uma grande maioria tem nível de escolaridade que engloba a
graduação (87,1%). O expositor da Textura é frequentemente um homem (61,1%) de até 44
anos (83,3%) com passagem pela graduação (88,9%). Por fim, fizemos três grupos focais com
expositores que já participaram de uma das duas feiras investigadas. Em conclusão, esses
editores independentes não se identificam como editores, praticam criação e edição sem fazer
uma distinção clara entre os processos, vão às feiras para conhecer outros publicadores e têm
dificuldade na distribuição de suas publicações.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - ANA ELISA FERREIRA RIBEIRO
Externo à Instituição - DANIELA SZPILBARG - Alicante
Externo ao Programa - JOSE DE SOUZA MUNIZ JUNIOR
Interno - PAULA RENATA MELO MOREIRA
Notícia cadastrada em: 01/11/2018 14:19
SIGAA | Secretaria de Governança da Informação - (31) 3319-7000 | Copyright © 2006-2020 - UFRN - vm-sig-app-08.ditic.sgi.cefetmg.br.inst8