Banca de DEFESA: Lúcia Andréa Costa Silva

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : Lúcia Andréa Costa Silva
DATA : 31/03/2021
HORA: 10:00
LOCAL: Online, por meio de videoconferência
TÍTULO:

Impactos da Estrutura de Capital e da Política de Distribuição de Dividendos sobre o Valor de Mercado das Ações Ordinárias das Empresas do Setor Elétrico Brasileiro


PALAVRAS-CHAVES:

Estrutura de Capital; Política de Dividendos; Precificação de Ativos; Setor Elétrico


PÁGINAS: 140
RESUMO:

A escolha da estrutura de capital e da política de distribuição de dividendos de uma empresa é considerada uma decisão complexa, pois envolve diversos fatores como risco e retorno que podem impactar o valor das empresas. Desde a teoria do portfólio de Markowitz (1952), surgiram novas contribuições sobre a precificação de ativos e modelos que explicam o processo gerador de retornos das ações. O debate sobre a estrutura de capital e a política de dividendos foi intensificado após os trabalhos de Modigliani e Miller (1958, 1961), pois contradisseram o pensamento vigente e buscaram mostrar que o efeito da estrutura de capital e da política de dividendos de uma empresa, em um mercado perfeito, não influenciava o seu valor e propuseram que o valor da firma é determinado pelos investimentos. Desde então, houve intensificação dos estudos teóricos e empíricos sobre os temas, porém ainda não há um consenso, continuando atraindo novas pesquisas. O setor elétrico necessita de uso intensivo de capital para financiamento das atividades de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica para assegurar o suprimento no país. Neste contexto, definir a estrutura de capital e a política de distribuição de dividendos, pautadas em atrair e manter investimentos robustos, podem ser fatores determinantes para a obtenção de resultados capazes de remunerar: i) o capital investido; ii) os riscos inerentes à atividade e iii) garantir qualidade e preço justo na prestação do serviço público. Diante disso, o objetivo desta dissertação foi verificar os impactos da estrutura de capital e da política de dividendos sobre o valor de mercado ações ordinárias, das empresas abertas, do setor elétrico, negociadas na Brasil-Bolsa-Balcão [B]3. Trata-se de uma pesquisa quantitativa, com amostra composta por 30 empresas. Os dados foram coletados no sistema da Bloomberg e analisados para o período 2010 a 2019. Em termos econométricos, optou-se pela utilização de regressão com dados em painel. Após os testes, foi adotado o Modelo de Dados em Painel de Efeitos Fixos. Como variável dependente utilizou-se o Retorno das Ações Ordinárias e como variáveis explicativas: o Índice Market-to-Book, Tamanho, Índice Preço_lucro, Beta, Alavancagem Financeira (proxy para Estrutura de Capital), Dividend Yield (proxy para Política de Dividendos) e Preço de Liquidação das Diferenças - PLD. Os resultados apontaram uma relação negativa e significativa entre a política de dividendos e o retorno das ações, todavia, a Estrutura de Capital apresentou relação negativa e sem significância estatística a 5% com os retornos. Destacou-se ainda, a significância estatística e positiva entre os retornos com o Índice Market-to-Book e o Tamanho, e relação negativa com o PLD. As variáveis Índice Preço_Lucro e o Beta não foram estatisticamente significantes a 5%.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - HUDSON FERNANDES AMARAL - UFMG
Interna - LAISE FERRAZ CORREIA
Externo à Instituição - EWERTON ALEX AVELAR - UFMG
Notícia cadastrada em: 19/03/2021 13:59
SIGAA | Diretoria de Tecnologia da Informação - DTI - (31) 3319-7000 | Copyright © 2006-2021 - UFRN - vm-sig-app-10.ditic.sgi.cefetmg.br.inst10