Projeto Pedagógico do Curso

O aluno formado pelo Curso de Bacharelado em Design de Moda do CEFET-MG,
Campus Divinópolis, deve ser profissional multidisciplinar, capaz de dialogar com
diversas áreas de conhecimento, com reflexões crítica e ética, estar apto a interpretar a
relação interdisciplinar entre criação, desenvolvimento de coleção, gestão dos processos
e da produção, marketing e comunicação. Estará capacitado a lidar com todas as fases
do projeto de design: da oficina de criação, produção, modelagem e prototipagem, até as
fases de gestão de processos e de negócios de moda. Poderá atuar nas mais diversas
empresas do setor de vestuário e desenvolver trabalhos na área de pesquisa e criação,
modelagem, gestão da produção, marketing e vitrines, vendas, escritórios de design,
ateliês e confecções, produção de moda, figurino, fotografia e artes gráficas, dentre
outros.
Em razão do crescimento do mercado da moda no Brasil, surgiu a necessidade de
formar alunos capazes de lidar com as constantes mudanças do âmbito do
comportamento do consumidor de moda, cada vez mais exigente. Para isso, pretende-se
formar profissionais com grande capacidade criativa e habilitados a realizar pesquisas
Trend Hunter, capazes de antecipar as necessidades do consumidor de moda, a fim de
acompanhar o desenvolvimento tecnológico e os processos de inovação.
Este profissional estará apto a assumir um papel de fomentar a busca pela inovação na
sociedade atual sob vários aspectos, como os da pesquisa, da metodologia, da criação,
da produção, da logística, da gestão do negócio de moda, do marketing, da estética e da
tecnologia. Sua função é compreender as exigências de mercado e antecipar às
necessidades, traduzidas em projetos que poderão gerar valor tanto para as empresas
quanto para a sociedade. Para isso, buscar-se-á formar um profissional da área de design
60
que esteja sempre atualizado a respeito das constantes mudanças do mundo do trabalho,
consciente das tendências econômicas, sociais, culturais, técnicas e ecológicas advinda
do mercado atual. Neste sentido, pretende-se formar profissionais que tenham boas
condições de empregabilidade já que terão características de formação relacionadas à
criatividade, ao pensamento crítico, ao trabalho em equipe e à solução de problemas
complexos.
O egresso do Curso de Bacharelado em Design de Moda deve apropriar do pensamento
reflexivo e da sensibilidade artística, estando apto a desenvolver projetos que envolvam
sistemas de informações visuais, artísticas, estéticas culturais e tecnológicas, observados
o ajustamento histórico, os traços culturais e de desenvolvimento das comunidades bem
como as características dos usuários e de seu contexto socioeconômico, ambiental e
cultural (Resolução CNE/CES nº 05/2004).
Segundo Kelley e Kelley (2014), em todos os programas de criatividade e inovação,
existem fatores três fatores que devem ser equilibrados na atuação profissional:
1. Os fatores técnicos: novas tecnologias que podem proporcionar as bases para
uma nova empresa ou um novo ramo de negócios;
2. Viabilidade econômica, ou fatores de negócio: não se trata apenas do
desenvolvimento de uma nova tecnologia, mas, também de sua produção e
distribuição de maneira economicamente viável;
3. Fatores humanos: ir além da observação do comportamento humano para
conhecer as motivações e as crenças das pessoas. Esse fator não é considerado pelos
autores como o mais importante entre os três, mas, segundo os mesmos, são os
fatores humanos que podem proporcionar algumas das melhores oportunidades de
inovação em um projeto.
A abordagem centrada no ser humano, para Kelley e Kelley (2014), constitui a essência
do processo de inovação. A empatia pelas pessoas é uma poderosa fonte de inspiração.
O objetivo é saber por que as pessoas fazem o que fazem, tentando descobrir o que elas
poderiam fazer no futuro. As experiências ajudam a formar conexões pessoais com as
pessoas e demais equipes de trabalho.
Considerando as três características elencadas por Kelley e Kelley (2014), depreende-se
que o profissional a ser formado pelo Curso de Bacharelado em Design de Moda poderá
61
ser demandado em várias áreas do design, uma vez que sua atuação estará voltada para a
chamada economia criativa38. Esse profissional poderá ter boas oportunidades de
trabalho e obter melhores remunerações podendo atuar em áreas como: cinema,
gastronomia, saúde, informática, artes visuais, televisão e vídeo, música, conteúdo
digital, design de moda, arquitetura, artes cênicas, entre outras.
Por serem profissionais que utilizam a criatividade e estarão envolvidos em projetos de
inovação, eles poderão trabalhar no sentido de aprimorar continuamente os processos e
sistemas de gestão, de qualidade e de produção, contribuindo efetivamente para o
incremento da qualidade, da produtividade e da competividade de toda a cadeia
produtiva da indústria da moda.
Os futuros designers de moda estarão capacitados tanto na pesquisa científica quanto na
tecnológica no sentido de aprimorar o sistema produtivo das indústrias de moda de
Divinópolis e região, visando o incremento do padrão de qualidade dos produtos e o
consequente aumento competitivo regional.
Os profissionais egressos do Curso de Bacharelado em Design de Moda deverão
apresentar as habilidades e competências, objetivando contemplar as demandas do
mundo do trabalho para esse segmento.
Dentre elas destacam-se:
- Aptidão para desenvolver pesquisas para a criação de produtos de moda utilizando
materiais diversificados;
- Capacidade de criar e desenvolver coleções de moda com processos de fabricação,
matérias-primas e viabilidade técnica e sustentável;
- Visão do sistema de projeto, desde a sua conceituação a adequação aos processos de
fabricação e aos aspectos estéticos, simbólicos, econômicos, comerciais, psicológicos,
semióticos e socioculturais dos produtos de moda;
- Aptidão criativa para propor soluções inovadoras, utilizando o domínio de técnicas e
de processos de criação;
38 Economia criativa é o conjunto de negócios baseados no capital intelectual e cultural e na criatividade
que gera valor econômico. A indústria criativa estimula a geração de renda, cria empregos e produz
receitas de exportação, enquanto promove a diversidade cultural e o desenvolvimento humano. A
Economia Criativa abrange os ciclos de criação, produção e distribuição de bens e serviços que usam
criatividade, cultura e capital intelectual como insumos primários (SEBRAE, 2018).
62
- Capacidade para elaborar protótipos, modelos, croquis, fichas técnicas e portfólios
com uso de técnicas diferenciadas de expressão gráfica;
- Capacidade de interagir com especialistas de outras áreas e de atuar em equipes
interdisciplinares na elaboração e execução de projetos;
- Aptidão no desenvolvimento de processos criativos visando a obtenção de um estilo
original e diferenciado;
- Conhecimento de gestão do design, incluindo qualidade conceitual e produtividade
com atenção as pautas do desenvolvimento sustentável;
- Conhecimento do setor produtivo de vestuário, revelando solida visão setorial,
relacionado ao mercado, materiais, processos produtivos e tecnologias; e
- Capacidade de analisar os estilos e tendências da moda contemporânea.
A formação profissional do egresso do Curso de Bacharelado em Design de Moda será
baseada em conhecimentos gerais e específicos, além do incentivo a ação profissional
competente e cidadã, que ofereça oportunidades para o desenvolvimento acadêmico,
científico, tecnológico e cultural dos alunos.

I - Capacidade criativa para propor soluções inovadoras, utilizando domínio
de técnicas e de processo de criação;
55
II - Capacidade para o domínio de linguagem própria expressando conceitos
e soluções, em seus projetos, de acordo com as diversas técnicas de expressão
e reprodução visual;
III – Capacidade de interagir com especialistas de outras áreas de modo a
utilizar conhecimentos diversos e atuar em equipes interdisciplinares na
elaboração e execução de pesquisas e projetos;
IV - Visão sistêmica de projeto, manifestando capacidade de conceituá-lo a
partir da combinação adequada de diversos componentes materiais e
imateriais, processos de fabricação, aspectos econômicos, psicológicos e
sociológicos do produto;
V - Domínio das diferentes etapas do desenvolvimento de um projeto, a
saber: definição de objetivos, técnicas de coleta e de tratamento de dados,
geração e avaliação de alternativas, configuração de solução e comunicação
de resultados;
VI - Conhecimento do setor produtivo de sua especialização, revelando
sólida visão setorial, relacionado ao mercado, materiais, processos produtivos
e tecnologias abrangendo mobiliário, confecção, calçados, joias, cerâmicas,
embalagens, artefatos de qualquer natureza, traços culturais da sociedade,
softwares e outras manifestações regionais;
VII - Domínio de gerência de produção, incluindo qualidade, produtividade,
arranjo físico de fábrica, estoques, custos e investimentos, além da
administração de recursos humanos para a produção;
VIII - Visão histórica e prospectiva, centrada nos aspectos socioeconômicos e
culturais, revelando consciência das implicações econômicas, sociais,
antropológicas, ambientais, estéticas e éticas de sua atividade.

Os pressupostos que orientam a metodologia de ensino do Curso de Bacharelado em
Design de Moda são norteados pelos princípios estabelecidos no Plano de
Desenvolvimento Institucional (PDI 2016-2020) que é o plano estratégico do CEFETMG
e registra objetivos, metas e programas com base na realidade atual e projetada da
Instituição.
A construção do PDI foi coletiva e democrática permitindo a participação da
comunidade. Assim, foram constituídas oito equipes de trabalho que ficaram
responsáveis pelo diagnóstico das áreas de atuação do CEFET-MG considerando oito
grandes temas: ensino, pesquisa, extensão, planejamento e gestão, política estudantil,
governança e acesso à informação, além de aspectos relativos ao espaço físico e à
gestão de pessoas.
No PDI (2016-2020), a atuação educacional da Instituição foi definida a partir da visão
humanista e de cidadania, por meio da ênfase em 13 princípios: (1) tecnologia a serviço
do homem, (2) valorização do ser humano, (3) preservação de valores éticos, (4)
satisfação da sociedade, (5) integração escola-governo-sociedade, (6) educação
tecnológica continuada, (7) pesquisa tecnológica, (8) equilíbrio entre desenvolvimento e
meio ambiente, (9) gerenciamento descentralizado, (10) administração participativa,
(11) crescimento contínuo da imagem institucional, (12) qualidade da informação e (13)
a formação humanística e científica.
Os princípios que norteiam a política institucional do CEFET-MG envolvem a
concepção da educação como direito; a valorização do caráter humanista e tecnológico
da Instituição; a articulação entre Ensino, Pesquisa e Extensão, entre outros. Para o
Curso de Bacharelado em Design de Moda, destacam-se:
– Valorização do caráter humanista e tecnológico da instituição, em prol da educação
tecnológica, da promoção da cidadania e da inclusão social, com a rejeição de políticas
e práticas de exclusão;
– Articulação entre as áreas do ensino, da pesquisa e inovação, da extensão e
desenvolvimento comunitário e da administração e entre os componentes internos de
cada uma;
123
– Compromisso com a atuação integrada, de forma crítica, às demandas regionais,
nacionais e internacionais, à luz das condições de sustentabilidade ambiental,
socioeconômica e cultural e das características da contemporaneidade; e
– Consideração do caráter plural e contraditório que permeia as políticas e práticas de
uma instituição universitária verticalizada, do ensino técnico de nível médio à Educação
Superior.
A metodologia a ser adotada no Curso de Bacharelado em Design de Moda, de acordo
com as Diretrizes Curriculares Nacionais, contemplará o desenvolvimento de
conteúdos, estratégias de aprendizagem, contínuo acompanhamento das atividades,
acessibilidade metodológica e autonomia do discente, coadunando-se com práticas
pedagógicas que estimulam a ação discente numa relação teoria-prática, com um perfil
claramente inovador e embasado em recursos que proporcionem aprendizagens
diferenciadas dentro da área.
As metodologias ativas contemplam tanto o ideário metodológico a ser desenvolvido no
Curso quanto vai de encontro com os princípios norteadores do PDI (2016-2020) do
CEFET-MG. Portanto, a opção do modelo pedagógico deste PPC é pela adoção das
metodologias ativas de aprendizagem, coerentes com os objetivos e os conteúdos de
ensino e que considerem a experiência concreta do estudante como ponto de partida do
trabalho pedagógico.
No modelo pedagógico das metodologias ativas os alunos saem da condição de ouvinte
e interagem e participam do processo de aprendizagem. Trata-se de uma mudança
radical em que os alunos passam a estudar previamente os conteúdos e os debatem em
sala de aula. Já os professores tendem a tornarem-se facilitadores do processo de
aprendizagem, reduzindo a quantidade de aulas expositivas. É importante ressaltar que
nas metodologias ativas ainda é bastante necessário que os alunos continuem estudando
a teoria por meio das aulas expositivas, mas que também realizem com dedicação e
interesse todas as atividades propostas a partir dos projetos e demais proposições que
irão complementar e reforçar a aprendizagem.
A concepção da metodologia de ensino ativa deverá permear todo o processo de ensino
e aprendizagem no curso. Para Althaus e Bagio (2017, p. 86-87),
124
Nas metodologias de ensino ativas, o processo de ensino é concebido como
processo de mediação, visando à construção do conhecimento, e não à mera
transmissão, como na metodologia expositiva. O professor atua como
mediador: problematiza o conteúdo, faz perguntas, intervém nas atividades
discentes, dialoga, aprende ao ensinar. Os alunos envolvem-se com
atividades prévias às aulas, pois o planejamento e o estudo são prioridades, o
que mobiliza a um engajamento dos alunos com a aula agendada, pois têm
compromissos 87 As metodologias ativas e as aproximações entre o ensino e
a aprendizagem na prática pedagógica universitária com a proposta didática.
São organizadas atividades e trabalhos em grupos (duplas, trios, etc.), o que
torna a aprendizagem mais colaborativa, além de contribuir para o exercício
da tolerância.
No escopo deste PPC, as metodologias ativas serão adotadas por meio dos projetos
interdisciplinares que estão previstos ao longo do curso nas seguintes disciplinas: 1)
Laboratório de Criatividade; 2) Projeto de Desenvolvimento de Coleção Conceitual 3)
Prática de Prototipagem I e II; 4) Educação Empreendedora e Inovação; 4) Projeto de
Design Sustentável; 5) Planejamento e Desenvolvimento de Coleção Comercial; 6)
Gestão da Produção e Custos; 7) Produção Editorial e Desfile de Moda. A metodologia
destas disciplinas é baseada na aprendizagem em projetos e que consiste em
desenvolver projetos baseados em problemas reais do segundo ao último semestre do
curso. O objetivo é fazer com que os alunos desenvolvam conhecimentos e habilidades
estudando a teoria e aplicando a prática nos projetos visando impactar positivamente na
aprendizagem, na medida que permitirá a articulação entre a teoria e a prática. Esperase,
desta forma, que aumente o interesse pelo curso e desperte a motivação e o
engajamento dos alunos pelas disciplinas.
Além disso, é importante ressaltar que a prática didática do corpo docente do Curso de
Bacharelado em Design de Moda incentivará para que os alunos estejam cognitivamente
engajados no processo de aprendizagem. Assim, ferramentas didáticas complementares
poderão ser utilizadas conjuntamente por todo o corpo docente integrando os projetos e
as demais disciplinas do curso, tais como: estudos de caso44, oficinas45, seminários46,
44 Estratégia de análise de uma situação-problema real, de preferência atual e próxima da realidade dos
estudantes. A depender da profundidade desejada e dos recursos disponíveis, pode ser aplicada em uma
ou mais aulas (LANÇAS, 2018).
45 Também chamada de workshop, a oficina é um ambiente de curta duração criado para que os
estudantes aprendam participando e fazendo. Logo, seus princípios são a escuta, o respeito e a
colaboração para fazer algo que será utilizado (VIEIRA e VOLQUIND, 2002).
46 Técnica de média-longa duração que permite explorar temas complexos com grande volume de
referências. Se preparados e acompanhados de perto, os seminários são capazes de estruturar disciplinas
inteiras, envolvendo os estudantes em todas as etapas do processo de ensino aprendizagem, da introdução
ao tema à avaliação final (OLIVEIRA, 2018).
125
aprendizagem baseada na resolução de problemas47, entre outros. A responsabilidade da
aprendizagem será transferida dos professores para os alunos que deixarão de ser
elementos passivos passando a serem protagonistas do conhecimento.
Buscar-se-á, então, promover ações pedagógicas que articulem os saberes e as práticas,
vinculando-os aos ideais da ética, da responsabilidade, da cidadania, da solidariedade,
do espírito coletivo e do desenvolvimento sustentável, direcionando-as ao atendimento
das necessidades da comunidade local e regional.
O ensino deve ser entendido como um processo que visa associar a construção do
conhecimento à crítica ao conhecimento produzido, num processo contínuo e articulado.
Deve ser concebido enfatizando a investigação do conhecimento e não apenas
limitando-se à transmissão de conteúdos, contribuindo efetivamente para a construção
da progressiva autonomia do aluno na busca do domínio científico e profissional num
determinado campo do conhecimento.
O processo de ensino visa, em última instância, o desenvolvimento das capacidades
cognitivas dos alunos e à sua preparação para a vida social e profissional. Ensinar é um
processo intencional e sistemático, direcionado para o desenvolvimento de
competências e habilidades dos alunos. Tem caráter bilateral, já que combina a
atividade do professor com a do aluno.
A atuação do professor é vista como inseparável das condições sociais, culturais e
emocionais dos alunos. Nesse sentido, ela busca referência na realidade dos discentes. O
ensino, assim, é compreendido como uma prática concretamente situada, voltada para a
aprendizagem de alunos determinados, com características socioculturais específicas.
Neste PPC estão contemplados os vários tipos de desenvolvimento das habilidades
cognitivas dos alunos da área de Design de Moda que serão estimulados a analisar, a
memorizar e a compreender os conteúdos.
Concomitantemente, pretende-se que ao longo do curso os alunos também desenvolvam
suas habilidades socioemocionais, tais como: cooperação, tolerância, trabalho em
equipe para a busca de resultados. Com o desenvolvimento dos projetos e outras ações
47 Estratégia baseada na proposição de um problema ou situação-problema para enfrentamento individual
ou em grupo. Muito usada nas ciências exatas, essa técnica pode ser aplicada em outras áreas do
conhecimento, exigindo não apenas a aplicação de fórmulas, princípios e leis, mas também o pensamento
reflexivo, crítico e criativo (FIGUEROA, 2017).
126
sociais espera-se que os alunos tenham boas atitudes e aprendam habilidades que
contribuam para a busca do controle emocional, para o alcance de objetivos, para a
demonstração de empatia, para a manutenção de boas relações sociais e para o
aprendizado em tomar decisões de forma sensata.
O somatório das habilidades cognitivas e socioemocionais pretende fazer com que o
curso faça sentido para a vida dos alunos na medida em que terão a oportunidade de
vivenciar a realidade social e, neste sentido, levarão estas experiências para suas vidas e
estarão mais preparados a superarem os atuais e futuros desafios profissionais e pessoais
que enfrentarão em suas carreiras.
Em síntese, a metodologia de ensino do Curso de Bacharelado em Design de Moda tem
por objetivo estimular o questionamento, o surgimento de novas ideias, a inquietação, a
dúvida e a procura de novas formas de se resolver problemas reais e o trabalho em
equipe. Além disso, os alunos serão estimulados a buscarem o conhecimento, a prática
da leitura e a aplicação prática dos conceitos discutidos em sala. A opção de se trabalhar
com as metodologias ativas visa desenvolver competências para a formação de do
humano na sua integralidade.

No que concerne ao acompanhamento e avaliação do Projeto Pedagógico do Curso de
Design em Moda, esta Comissão buscou manter-se em estrita conformidade com a
proposta de projeto pedagógico dos cursos em andamento no CEFET-MG. Assim, para
o acompanhamento e avaliação do Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado em
Design em Moda, considera-se necessário:
1. A normatização por parte do Colegiado de Curso e aprovação no Conselho de
Graduação;
2. Focar a autoavaliação interna do curso, abrangendo avaliação da estrutura, do
currículo e das práticas pedagógicas, dos docentes e dos discentes visando a
correção de rumos e a possibilidade de melhoria e avanços a partir do debate
entre os sujeitos do processo educativo;
3. Considerar propostas de nivelamento e monitoramento dos ingressantes desde o
processo seletivo, particularmente nos primeiros períodos, de forma a contribuir
para o desenvolvimento de habilidades básicas necessárias ao estudante de
Ensino Superior de Moda;
4. Estabelecer parâmetros e instrumentos de avaliação da aprendizagem do aluno;
5. Estabelecer procedimentos de acompanhamento das disciplinas, dos alunos e
dos professores, que permitam a implementação de mecanismos de recuperação
dos alunos e revisão dos processos de ensino-aprendizagem, com base na
avaliação dos semestres anteriores;
6. Definir orientação metodológica e ações pedagógicas, por meio de atividades de
educação continuada como cursos, oficinas, seminários interdisciplinares, em
atendimento às necessidades dos docentes e técnico-administrativos envolvidos
com o curso, no que se refere à elaboração de instrumentos de avaliação,
planejamento de atividades de avaliação, estratégias de dinamização da sala de
aula, além de técnicas de ensino, projetos, tutoria, uso de ferramentas digitais,
entre outros; e
7. Planejar a realização, sistemática e periódica, de eventos como semana da moda,
feiras, mostras de trabalhos de alunos, seminários temáticos, etc.

Baixar Arquivo
SIGAA | Diretoria de Tecnologia da Informação - DTI - (31) 3319-7000 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - vm-sig-app-05.ditic.sgi.cefetmg.br.inst5