Banca de QUALIFICAÇÃO: INGRID GUIMARÃES SILVEIRA E SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : INGRID GUIMARÃES SILVEIRA E SILVA
DATA : 10/05/2022
HORA: 14:00
LOCAL: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/denise-de-carvalho-urashima
TÍTULO:

Modelagem Hidrogeotécnica de uma Barragem de Rejeitos Alteada pela Linha de Centro. 

 

PALAVRAS-CHAVES:

barragem de rejeitos; percolação; estabilidade; fator de segurança; modelagem numérica.

 

PÁGINAS: 87
RESUMO:

No processo de beneficiamento de minérios, são gerados rejeitos descartáveis na forma de polpa ou lama em estruturas como barragens ou diques. No caso de um rompimento, esses rejeitos podem causar elevados prejuízos ambientais, sociais e econômicos. Vale destacar também que o processo de monitoramento e segurança de barragens de rejeitos apresenta certa complexidade hidrogeotécnica. Nesse contexto, esta pesquisa apresenta um estudo de estabilidade, por meio da modelagem numérica de uma barragem de rejeito fosfático alteada pelo método de linha de centro. Para a modelagem, foram aplicados conhecimentos baseados em redes de fluxo e percolação de água subterrânea, para verificar o fator de segurança da estrutura em dois cenários distintos:  o primeiro considerando o nível d’água (NA) elevado e com alagamento da região de jusante da barragem, e o segundo considerando a execução de obras de reforço e rebaixamento de nível d’água do reservatório. Ressalta-se que o segundo cenário visa ao atendimento de premissas estabelecidas para a condição de estabilidade perante a Agência Nacional de Mineração (ANM). Dessa maneira, foram empregados resultados das investigações geológico-geotécnicas de campo e laboratório, para subsidiar os inputs necessários nas modelagens numéricas, realizadas por meio do software SLIDE da ROCSCIENCE. A partir da análise do banco de dados, foram definidas duas seções geológico-geotécnicas, denominadas B-B’ e E-E’, como sendo as mais representativas da barragem em estudo. Para representação das condições de contorno do modelo, foram determinadas as permeabilidades médias de cada material constituinte dessas seções; bem como as cotas dos piezômetros e dos medidores de nível d´água. Para a análise de estabilidade, estão sendo empregados parâmetros de resistência pretéritos que viabilizaram a análise dos fatores de segurança globais e parciais em condições drenada e não drenada. Um resultado preliminar da seção geológico-geotécnica E-E’ apresentou para o primeiro cenário fatores de segurança globais iguais a 2,06 e 1,32 para a condição drenada e não drenada, respectivamente. Também se identificou fatores de segurança parciais iguais a 1,96 e 1,32 para a condição drenada e não drenada, respectivamente. Sendo assim, a condição não drenada, para o primeiro cenário da seção E-E’, não atendeu a recomendação preconizada na ABNT NBR 13.028:2017, que define o fator de segurança maior ou igual a 1,50 para operação com rede de fluxo em condição normal. As próximas etapas da pesquisa visam a comparar os resultados do primeiro e segundo cenários de ambas as seções geológico-geotécnicas B-B’ e E-E’, de forma a avaliar, numericamente, a eficiência das obras de manutenção corretivas executadas.

 

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - DENISE DE CARVALHO URASHIMA
Interna - HERSILIA DE ANDRADE E SANTOS
Externo à Instituição - EDUARDO SOUZA CÂNDIDO - UFLA
Externo à Instituição - LUCAS DELEON FERREIRA - UFOP
Notícia cadastrada em: 27/04/2022 11:11
SIGAA | Diretoria de Tecnologia da Informação - DTI - (31) 3319-7000 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - vm-sig-app-05.ditic.sgi.cefetmg.br.inst5