Banca de DEFESA: AMANDA RIBEIRO BARBOSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : AMANDA RIBEIRO BARBOSA
DATA : 30/08/2021
HORA: 16:00
LOCAL: CEFET-MG (remotamente)
TÍTULO:

Bússolas e birutas: um estudo sobre o subcampo independente de livros literários para crianças em Belo Horizonte


PALAVRAS-CHAVES:

Editoras independentes; Livros literários para crianças; Feiras de publicação independentes; Literatura Infantil e Juvenil.


PÁGINAS: 135
RESUMO:

A literatura para crianças no Brasil lida historicamente com um status inferior ao das demais literaturas, o que pode ser explicado pelo seu surgimento tardio e intimamente atrelado ao campo pedagógico. O conceito de “independência editorial”, por sua vez, revela mais questionamentos do que definições precisas. A inexatidão do termo “independente”, bem como sua apropriação como estratégia de pertencimento a um nicho atrativo, contribuem para sua própria deslegitimação. As reflexões iniciais se desdobraram em perguntas: como se a relação entre as produções editoriais independentes e as de livros literários para crianças no Brasil? Quais as especificidades da cena editorial de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, o segundo estado mais populoso do país? Neste trabalho, investigamos os elementos que constituem a autonomia do subcampo independente de livros literários para crianças em Belo Horizonte. Recorremos aos conceitos de campo presentes em Bourdieu (1996, 2004, 2006) e Thompson (2013) para apresentarmos um apanhado histórico do subcampo editorial independente na América Latina ancoradas em Warth (2005), Barcellos (2006), Muniz Jr. (2010, 2016, 2017), Szpilbarg e Saferstein (2012), Lopéz Winne e Malumian (2016), Oliveira (2017), Amaral (2017), Coutinho (2017), Gomes (2018), Magalhães (2018), Ribeiro (2018), Schierloh (2019), Coutinho (2020) e Pinheiro e Silva (2020) e do subcampo de livros literários para crianças no Brasil e, especificamente, em Minas Gerais, a partir dos trabalhos de Carvalho (1993), Oliveira (2000), Arroyo (2010), Hunt (2010), D’Almeida (2011), Federman et al. (2011), Matarelli (2011), Lajolo e Zilberman (2017), Farias e Fernandes (2019), Pinheiro (2018), Ribeiro e Vinícius (2019), Pinheiro e Silva (2020), Tolentino (2020) e Barbosa (2021, no prelo). Realizamos entrevistas com os responsáveis por quatro editoras belo-horizontinas que publicam livros literários para crianças e frequentam as feiras de publicações independentes da capital mineira: Crivo Editorial, Impressões de Minas, MRN Editora e Mazza Edições. Por fim, analisamos suas condições de atuação e traçamos, a partir de cinco pontos principais, uma possível lógica do subcampo em questão: 1) o baixo, porém crescente, grau de codificação de entrada; 2) a busca por equilíbrio entre os capitais econômico e simbólico; 3) o desenvolvimento de projetos e parcerias; 4) a frequência assídua em feiras de publicações independentes; 5) e a forte presença de "editores coelho", uma nova categoria na matização metafórica do subcampo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - ANA ELISA FERREIRA RIBEIRO
Interna - PAULA RENATA MELO MOREIRA
Externa ao Programa - FABIOLA RIBEIRO FARIAS
Notícia cadastrada em: 11/08/2021 10:42
SIGAA | Diretoria de Tecnologia da Informação - DTI - (31) 3319-7000 | Copyright © 2006-2021 - UFRN - vm-sig-app-07.ditic.sgi.cefetmg.br.inst7